quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Cavalgada das Walkirias



Richard Wagner, percebeu um reboar na
imaginária "Cúpula do Universo".
Que Som seria esse, que fez com que Wagner recebesse o Som
até as mais reconditas notas onde sua potência criadora
poderia Vibrar?
Cada um de nós, penso eu, está em conexão com qualquer
Vibração. A medida que nos transformamos nos readaptamos
à outra Vibração. O Universo Infinito nos adapta,
recebendo nosso Espirito que se adapta à
Alma para dispor de uma encarnação, se necessário for,
ou outra modalidade que possa facilitar mais absorvição
Divina a esse Espirito -
isto é, "Esclarecimento".
Interessante, que Wagner fez a cavalgada ser feita por
mulheres, porque
na Mitologia, Wagner teria escolhido o Elemento Feminino
para essa Retumbante "passagem", uma vez que, na Verdade, o
Feminino é o Receptivo, o Grande Concavo, o "Eco
Permanente" da Criação, talvez a Ma-
nutenção do Universo, e o Consolo, simbolizado pela Mãe
Divina, a Misericordia?
A Sabedoria Divina foi criada "Para Discussões",
oportunidade dada com muita Sabedoria e Carinho para nós
que precisamos de Amparo Sincero e
confiança nos Irmãos que se dedicam a nos Esclarecer e
Ajudar na Senda

do
Espirito.


clarisse

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Constatarmos o impalpavel de forma interiça


"Au Diapason du Ciel" - livro
psicografado por Marcelle De Jouvenel, de
seu filho Roland...
Je me demande comment les incrédules ne sont pas frappés
par ces alter-
natives d`existences palpable et impalpable.
Eu me pergunto como os incredulos não são tocados pelas
alternativas de
existencias palpavel e impalpavel.
Temos essa possibilidade que é como uma Vista Panoramica
desvendada para
o interior de nós mesmos... A Vista Panoramica, não é
"interiça", ela é
fragmentada, porque, cada fragmento, é um aspecto
psíquico de ansiedades
de nossa Alma.
Constatamos o mundo através de parcelas.
Recebemos a Vida através de parcelas - e estamos tão
acostumados com essa forma de constatação, que não
percebemos que pode haver uma outra maneira de
percepção...que é a impalpavel.
Mas... segundo minha amiga Lourdes, precisamos evoluir
nossos sentimentos, para ser possivel, constatarmos a Vista
Panoramica de Forma
Interiça!


clarisse

O Obsessor


- Eu te obsedio, porque te amo.
E "ela", carente de um amor mais sincero, perdidos vários
amores, que se perderam por entre o nevoeiro da
incompreensão, que faz parte do Destino da Vida de cada um,
ela cultivava o amor do obsessor.
Para retribuir o Obsessor, ela lhe entregava o que de pior
havia nela e o que de melhor tinha em sua alma.
Quando, por perversidade, o Obsessor, se afastava, ele
sentia, e uma instabilidade de espirito, e uma persepção
de solidão, porque o Pior também provoca Solidão, e ela
ficava impaciente, nervosa, atormentada - e o Obsessor, se
regalava com isso, pois os Sentimentos dela, era tudo o
que ele possuia e conseguira conquistar.
Também, ela era Obsessora d`ele, porque sua feminilidade
lhe fazia sentir o desarvoramento dele, quando ele sentia
que ela descobrira o modo de faze-lo sofrer.
Mesmo com o forte calor de Verão do Rio de Janeiro, "ela",
nas tardes de
abandono e solidão, ia caminhar pelo Cemitério,
usufruindo do Silencio
dos mortos, que percebiam sua angústia, que estava
disfarçada dos vivos.
Ela, a Obssedada, se suicidava várias vezes, por que se
refazia do Desespero, num certo templo do Sul da India, onde
por Sofrimento, ao menos por Sofrimento, rolava num chão de
pedra, que ninguém podia impedir, rolava num chão de pedra
com a Volúpia, ao menos a Volupia, para amenizar um pouco,
um pouco que fosse, o desespero de nada ter do melhor para
Si, mas ao menos as Perdas, por consolo onde depositar suas
lágrimas.

clarisse

domingo, 26 de dezembro de 2010

Camadas em volta do Planeta Terra



Chamam de "Astral", a camada mais
densa, residencia de Almas que deixaram seus corpos de
carne, findo sua dívida a ser resgatada.
Existem camadas e Regiões mais "Altas", com
caracteristicas de Espiritualidade mais "Elevada".
Somos influenciados pelas Emissões das Almas que vivem nas
Camadas que se superpoem sobre nosso Planeta.
Esse Oceano Invisivel, sentimos somente por suas
"descargas" energéticas
que as vezes, influenciam nosso sistema nervoso e, Também,
nos auxiliam sendo atraidas pela Energia Positiva de Amor,
Tolerancia, Paciencia.
Saimos de uma Influencia Nervosa Negativa, para uma
Influencia Nervosa Positiva, com a maior facilidade.
Não vemos os habitantes das Camadas Invisiveis de nosso
Planeta, mas, desenvolvendo nossa Sensibilidade Espiritual,
e mantendo-A com Pensamentos Elevados em Espiritualidade,
nós sentimos a resposta Imediata de um pedido de Amparo
emitido por nós... Esse Mundo Invisivel, foi criado
para nos Responder, quando Perguntarmos, pois a
Sensibilidade Divina vem Antes da Nossa Pergunta, uma vez
que a Criação
foi feita na Invencibilidade e portanto, nada pode faltar.
clarisse

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Dentro do Templo


O Mestre das Bayaderas, subiu para a
Torre, para uma inspeção.
Apesar do forte calor no Sul da India, o Templo mesmo com a
pedra usada em revestimento e escadaria, estava úmido em
suas paredes.
A bayadera sentiu que o limo negro declinava seu Espirito -
seu coração batia frio, como a nuvem que cobria a Lua
Crescente.
Que importa que à volta de nós, a Vida se apresente de
uma forma se sentimos que o Amor está diferente e não
podemos curva-lo, o Amor, com nosso corpo, prende-lo, o
Amor, e só solta-lo, depois que o Amor satisfez
nosso corpo mas não nos deu a certeza de amanhã,
retornar?
A Incerteza do Amor, danifica a Vida.
O Bater dos pés da bayadera para fazer soarem os guisos
imita a dança do deus Shiva, o Nataraja Guru, e isso soa no
Universo, mas não seca os vestigios das lágrimas que
correram entre os seios suados da Devadase.
Quando vier a Lua Cheia, o Céu poderá estar mais limpo,
mas não há Paz para
a sacerdotisa que não recebeu dos deuses a certeza de que
seria amada outra
vez.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O Ego



Um deus mitologico, comia os proprios
filhos que nasciam; segundo minha amiga Lourdes, isso pode
significar Destino. (deus Saturno)
Imagino se o Ego, devora Deus- Lourdes disse que não: pode
haver dois Egos:
- um é vaidoso, o outro tende ao Equilibrio, e pode ser
Iluminado.
Tudo o que fazemos, não deixamos a Transparencia de Deus.
Jesus, na Ceia com os Apostolos, se referiu ao pão e ao
vinho: o pão e o vinho são o meu corpo e o meu sangue que
derramarei por Vós.
Deixarmos o Espirito Santo em todas as Coisas na Vida do
Mundo.
Entre os Cátaros, o Paracleto, O Espirito Santo, era o
principal na sua Devoção e Entrega.
No Planeta Terra, é o Ego que impera.
O Ego ganha corridas, é o primeiro da classe no colegio,
ganha premios, medalhas, vence Disputas...
Cultivamos o Ego com grande preocupação... quando a
velhice chega, o cérebro que representa o Ego, está
confuso e decaido e só o coração palpita
para a Beleza da Natureza e da Arte.

Lourdes diz
que sou vaidosa



clarisse

O SER


O Pensamento,
é a Energia que "compete" na Estrutura da Criação.
"Compete", com que? "Compete" consigo mesma, e se
alto-transforma de acordo com o Movimento, se é que existe
"Movimento", ou o "Movimento" é Pré-Ele Mesmo, para
Subsistir, Existir e Se Transformar.
Não há "Restos" - Sobras - pois tudo é Tesouro de Si
Mesmo.
O Ser, concebeu a colocação da Existencia em coisas que o
Ser classificou como Úteis, Agradaveis, Inúteis,
Impecilhos, sem perceber que para "Essas Coisas" existem os
"lugares para cada um", na conjugação
dos Verbos, Antes, Agora e Depois.
O Ser, na minha opinião, tem que se voltar para Si Mesmo,
porque "Ele" é o Pequeno Universo "Antes", "Agora" e
"Depois" e tudo que lhe acontece
materialmente é sujeito ao Espiritualmente, e não às
Deduções do Pensamento, criação e cultivo Dele, para a
Existencia de Sua Aplicação
no Universo.
Quem será o Ser numa outra Aplicação de Si
Mesmo, ja lhe sendo accessivel uma Disposição para outras
"Transformações" "Na Criação Divina?"

clarisse

sábado, 18 de dezembro de 2010

Os Milionários



O povo do Planeta Terra, se esforça
para acumular dinheiro.
Mas, o dinheiro acumulado, dura para ele, o que a Vida lhe
dá de dias de exisencia.
O Terráqueo, reencarna pobre e passa a Vida sonhando com
dinheiro...Existem "aqueles" que se sentem recompensados
pelo que a Vida lhes proporcionou... como, zelando pelas
Florestas, tiveram a felicidade de ve-las, as Florestas,
protegidas e mais ricas na sua riqueza que são árvores e
animais que dependem das árvores... mas, os que só se
sentiam felizes com o acumulo do dinheiro, sabem, têm
noção de
que a única coisa que ficará como lembrança "deles",
será o seu retrato,
até o momento de virar "coisa do passado", sem a minima
importancia para o "presente" de pessoas que não o
conheceram.
A Riqueza se transforma... os Milionários dessa "Riqueza",
voltam cada vez mais ricos ao Planeta Terra, até que,
Milionários, não vêm mais aqui, ajudando este Planeta com
Ajuda da Distancia onde estão, e que, por "sua
constituição", não podendo mais entrar em contato com o
Clima
Sideral do Planeta Terra, ajudam a Espiritualidade do
Planeta com a Riqueza Acumulada que os mantem em Clima
Espiritual mais ameno para o Bem Estar da "Alma" que possuem
no momento.
A Riqueza da Divindade, é inesgotável..., é Infinita,
até ao Sabor da
Luz.



clarisse

As Posses deste Planeta

O Globo chamado "Terra", rodopia no
Espaço Sideral, e não se importa para onde vão suas belas
canções.
A Atmosfera desfaz as canções, que a saudade tenta
guardar, quem as cantou, as vê se desfazerem, tão frágeis
que são, se não forem gravadas em ferro, em marfim,
sendo apenas um poema de amor, que são notas, misterios de
som burilados para harmonizarem os traumas da Terra,
e suas provações.
Hinos às Divindades, somos nós que cantamos, pois as
Divindades nunca composeram Hinos para nós...
Somos nós que louvamos as cachoeiras, as Altas Montanhas,
os Extensos Desertos, as frescas Florestas...
Somos nós que erguemos Templos, para dentro deles rezarmos
orações que minutos depois, não existem mais... Os
Templos prevalecem, mas as preces, nem essas, conseguimos
preservar conosco...
E que fazem as Divindades com nossas preces, com nossas
posses? Não as
perduram para nós... não podemos reter nada, pois a
Procura é Infinita,
uma vez que é o Desconhecido que vem primeiro ao nosso
Encontro.
clarisse

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Grandeza Pequena no Ser


O Humano Mede.> Toda Vida Humana, se faz dentro de medidas e tempo.> E o ser se acostuma a isso.> Quando na Verdade, a Liberdade, está dentro de Si mesmo.> Os Olhos vêm, mas o coração é que rege e limita e> delimita.> O Humano caminha por uma estrada - há tantas estradas na> Terra!... e o> humano só pode caminhar por uma de cada vez...> A Divindade zela pela Liberdade do Ser.> "Tudo" são encontros com a Divindade, que o ser não se> aproveita de refazer em Si a Perfeição da Divindade.> O humano não pode imaginar a Divindade, o coração pode> palpitar pela Divindade.> Amar a Si Mesmo e à> Divindade é uma entrega que pode esquecer> o "Eu".> Será que o Extase Pela Iluminação Divina, torna o humano> guiado pelo Estado de Divindade?> > > clarisse

domingo, 12 de dezembro de 2010

Saudades do Templo


Hoje, tive saudades do meu Templo, no
Sul da India.
Foi um milagre, eu, na cidade de Verona, norte da Italia,
onde fui ao encontro da minha guia para a Viagem à uma
terra desconhecida.
Milagre, pois na verdade, eu via o templo com suas
montanhas atrás, e o pátio retangular com o morro de cor
marron, fechando o pátio, embaixo.
Eu não sabia o nome do templo, mas sentia grande atração
pelo deus Shiva.
Algo me fazia sentir, que me dirigisse para o Sul da India,
assim, quando no apartamento de minha Guia Lily, num
livrinho que ela me deu para folhear, li o nome "Madurai",
grtei:
- É aqui, Lily, é aqui que eu quero ir!
Em Madurai, existem muitos templos, e depois de visita-los
e não sentir o ímpacto do reconhecimento, foi que me
dirigi a um taxista no pátio do hotel onde estava
hospedada, perguntando a ele se sabia de um templo com
montanhas baixas atrás, dedicado ao deus Shiva - ele
respondeu que sim, mas o templo ficava fora da cidade, uns
8km.
Caminhando descalça no chão sujo daquele tempo, enquanto
que, os templos na India são limpíssimos, foi que de
repente, eu senti o impacto! Erguendo a cabeça, me senti
"senhora" daquilo tudo! Sim, explodi em lágrimas...
Hoje, senti grande saudade... uma vontade incrivel, de
voltar lá...
Mas, hoje, com as confusões dos aviões, sem a minha guia,
que está morta, não tenho mais coragem...
Naturalmente, que voltarei lá, depois de morta, não
subirei para o plano
a que estou designada, sem antes arrumar um "monte" de
saudades desta
vida e da outra em que servi alí.
Ja viver em dois planos de Duas Encarnações, na minha
juventude, foi uma
tortura... depois, com a experiencia da Vida, adaptei tudo
que é Esperitual, ao meu modo de viver... A Saudade, está
sempre diante de mim, pois não consegui me adaptar ao
mundo... mas, nesse Meio Mundo Espiritual, condiçonei todo
meu modo de viver à Dívida ao Espirito. Sou
Libriana, arrebatada e cheia de energia para a Paixão!
Gostava de alegria e de brincar! Me aproveitei muito de
ter nascido no País do Carnaval... Mas, de minhas
missões em Vidas Passadas, tento transmitir,
de mim mesma, minhas experiencias no Reino do Espirito...
porque a Prova, sou Eu mesma, a vítima oferecida aos deuses
e que ainda não obteve dos deuses a liberação da Prova!

clarisse

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Final da Carta de Natal de 2010, de Sri Daya Mata:



Cada ação altruista expande nossa consciencia, mas é
quando entramos no
templo do silencio, onde cessam os pensamentos inquietos e
as emoções, que podemos vivenciar plenamente a "paz que
transcende todo o entendiemtno", o amor infinito que Cristo
sentiu - o amor com o qual Deus está atraindo todas as
almas de volta para Ele. Tal profundidade de comunhão interior surge
gradualmente, mas cada esforço pode trazer à nossa vida maior tranquilidade, empatia e proximidade de Deus. Gurudeva assegurou-nos que, se perserverarmos, poderemos alcançar "uma comunhão de indizivel doçura com a Graça Infinita , a Glória Indescritivel, a Proteção Eterna". Essa é a dádiva inestimável que Deus lhes oferece nesta época do Natal. Que ela seja o início de um exultante despertar espiritual, e
uma ocasião para compartilhar com os demais a compreensão e o amor universal de Deus.
Um Natal abençoado para vocês e os que lhes são caros.
Sri Daya Mata

Festejando Nascimento do deus Horus



Falei ha pouco com minha amiga
Lourdes, dizendo: - Não gosto desta época, de Natal e
desejar Boas Festas e também receber "Boas Festas"....
e Lourdes me respondeu:
- Você deveria gostar... pois é o nascimento de Horus...
Bem, ha uma certa semelhança entre os nascimentos de Horus
e Jesus.
Quando o deus Seth matou o irmão Osiris, retalhando-o, o
"falo" de Osiris, caiu no rio Nilo, onde um peixe o comeu.
Sem falo, Osiris fecunda sua esposa deusa Isis ... quer
dizer... nascimento sem relação
sexual... por aí, ja "qualquer semelhança é mera
coincidencia"... e outras semelhanças: - a deusa Isis
passou grande parte da Vida, reunindo os pedaços do seu
marido Osiris até refazer seu corpo sem o falos - isso pode
ter gerado os sofrimentos de Jesus, até sua
Ressurreição... No Egito Antigo, havia uma
encenação dessa tragédia, em teatro e o corpo de Osiris
desfilava pelas ruas em procissão... Fiquei 3 anos
num apartamento em Copacabana, e da minha janela no sétimo
andar, quando na "Paixão", eu via vindo pela Av. N.S. de
Copacabana, a procissão do Senhor Morto, eu dizia para mim
mesma:
- Lá vem a procissão de Osiris...
Bem, ´depois de reconstituido, sem o falos, Osiris gera
Horus.
Horus é representado por um gavião - deve ser dourado,
pois Horus negro
é a pessoa morta.
"Não nos esqueçamos do Anjo dizendo para José, marido de
Maria:
- Pegue a mãe e seu filho e fuja para o Egito, pois
Herodes quer mata-lo...






clarisse


Festejando Nascimento do deus Horus



Falei ha pouco com minha amiga
Lourdes, dizendo: - Não gosto desta época, de Natal e
desejar Boas Festas e também receber "Boas Festas"....
e Lourdes me respondeu:
- Você deveria gostar... pois é o nascimento de Horus...
Bem, ha uma certa semelhança entre os nascimentos de Horus
e Jesus.
Quando o deus Seth matou o irmão Osiris, retalhando-o, o
"falo" de Osiris, caiu no rio Nilo, onde um peixe o comeu.
Sem falo, Osiris fecunda sua esposa deusa Isis ... quer
dizer... nascimento sem relação
sexual... por aí, ja "qualquer semelhança é mera
coincidencia"... e outras semelhanças: - a deusa Isis
passou grande parte da Vida, reunindo os pedaços do seu
marido Osiris até refazer seu corpo sem o falos - isso pode
ter gerado os sofrimentos de Jesus, até sua
Ressurreição... No Egito Antigo, havia uma
encenação dessa tragédia, em teatro e o corpo de Osiris
desfilava pelas ruas em procissão... Fiquei 3 anos
num apartamento em Copacabana, e da minha janela no sétimo
andar, quando na "Paixão", eu via vindo pela Av. N.S. de
Copacabana, a procissão do Senhor Morto, eu dizia para mim
mesma:
- Lá vem a procissão de Osiris...
Bem, ´depois de reconstituido, sem o falos, Osiris gera
Horus.
Horus é representado por um gavião - deve ser dourado,
pois Horus negro
é a pessoa morta.
"Não nos esqueçamos do Anjo dizendo para José, marido de
Maria:
- Pegue a mãe e seu filho e fuja para o Egito, pois
Herodes quer mata-lo...






clarisse


quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Viver como Eterno



O limo da Floresta, a água morta, o
Oceano que bate, o Vulcão que surpreende, a força que nos
sustém, e vai se enfraquecendo, e desnorteados, procuramos
outro apoio, essa Tempestade ficticia, que aterroriza nossa
Alma, acontece porque tem motivo para acontecer.
Enquanto houver vulnerabilidade em nossa Observação,
observação sucedida
porque descuidamos de não manter o Amor Divino como
Privilégio sobre tudo e Razão de Tudo.
No que acontece na Vida do Planeta, a Razão é o
Desempenho Divino.
A transformação da Alma, sucede pela desenvoltura de sua
dedicação ao
Templo Divino que é a Vida.
A simbolica chama pela qual a Vestal tinha que zelar no
Templo, pondo em
risco a própria Vida, pois se deixasse que se apagasse, a
Vestal seria enterrada Viva, uma vez que na Grécia, existia
o Sacrificio Humano, essa
chama é A Divindade, que está antes de tudo em nossos
atos e pensamentos.
A Divindade, nunca deixa de nos responder.
Recebemos a Resposta Divina, por um acontecimento, um
esclarecimento do Espirito, mas a "morte" nunca está
presente no Plano da Alma, pois o
Espirito tem o Antes, o Atual e o Depois.
O Humano, tem que
saber viver como Eterno.



clarisse

domingo, 5 de dezembro de 2010

ALMIRANTE INDIO DO BRAZIL


ALMIRANTE INDIO DO BRAZIL, É O PRIMEIRO, À DIREITA

Inteligencia



A Inteligencia, é o "germe" vivo do
Raciocinio.
Mas, o que é a Inteligencia?
Uma vontade de especular sobre tudo que faz parte de
nossa
Vida na Terra.
Qual é a Lógica no acontecimento das coisas?
Sofremos com o sofrimento dos que nos são caros,
sejam
pessoas, sejam animais.
As plantas também nos causam sofrimento com sua morte
ou
doença, mas temos nelas a Esperança de seu
reflorecimento... enquanto com os seres de sangue, é
terrivel, ve-los definhar, sem que nada possamos fazer
por
seu sofrimento.
Em nossa Existencia, a Inteligencia, é uma bola
jogada de
cá para lá, na
sua inquietude de ajustar em nossa Vida, o que nos
desassocega.
O Ego, depende da Inteligencia - além de outras
coisas,
naturalmente, que o impele na busca de uma Razão para
tudo
o que sucede em nossa Vida e que atrapalha o Viver que
ele
mais gostaria de ter.
Deixando o Ego para o Encargo de Subsistencia da Vida,
o
principal e primordial de nosso Viver, seria a
Espiritualidade, porque tudo depende da Luz, até o
Iluminado, que terá seus olhos abertos para - ao
menos -
contemplar a Verdade, a Verdade de Si Mesmo... estava
escrito num predio da Grecia antiga: - conhece-te a ti
mesmo.


clarisse

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Compreender o Espirito na Matéria

O movimento respiratorio, os lados do
cérebro, o esquerdo lunar, o direito solar, e todos os
movimentos realizados pelos órgãos humanos, e os
movimentos em todo o aspecto material, podem estar sujeitos
à observação do ser humano, animal, botanico, líquido...
mas, penso eu, o ser humano é mantido pelo Espirito.
No Espirito, somos divididos em muitos setores, mas o que
importa isso?
Não temos noção da Unidade e muito menos da
Diversidade.
Somos uma gruta, em que é possivel percebermos o Espirito
com mais ou menos Influencia.
O importante, é nos realizarmos no Espirito, não importa
de que maneira perceptiva ou organica, mas dependendo do
sabor que figuramente sentimos, mais doce e menos amargo...
dependendo Isso, do alcance da percepção e da memória de
nossa Alma.
Nossa Alma também é regressa de um ambiente, que
tínhamos antes de nossa
Reencarnação.
Todas as nossas Ações, têm Eco nessa Gruta que é o
Universo Espiritual.
Entramos de Frente para o Interior da Gruta, despertamos o
que podemos
de nossa memória de acordo com nossas possibilidades e,
voltando de frente para a entrada da Gruta, no gesto de
transmitir o que tenhamos percebido, nossa Lealdade para com
a Criação é nossa Entrega honesta à
Humanidade e à Tudo mais no Mundo.


Não conseguir esquecer

Recebi hoje mensagem de um
amigo que disse não ter conseguido me esquecer...
Os Designos Divinos, segundo minha dedução, são
transformados... tudo muda no Universo, segundo Nossa
Propria Mudança; e o que é transformado,
mudado, alimenata outro aspecto, como um adubo que não
serve mais para uma coisa, mas serve para "a vida" de outra
coisa.
Meu amigo não conseguiu me esquecer, porque alguma coisa
que ha, entre nós, ainda está servindo para o nosso
aperfeiçoamento Espiritual, ou outro nome para a Essencia
que se transforma de acordo com os Designos Divinos.
Nós esquecemos das Encarnações Passadas na
Terra...porque o nosso Destino para o aprendizado coloca
outras coisas mais essenciais para o aprendizado atual, no
Designo de Deus.
Nós só vivemos para a Divinização.
De acordo com a Premissa dos Momentos, tudo é "convocado"
para Ordenar a
Necessidade do Momento... - coisas que estavam adiante,
passam para trás, e coisas que estavam atrás, passam para
a colocação da Frente.
Tudo se transforma, até o momento de esquecermos "partes
de nós mesmos",
e então, Deus pode permitir que por um segundo apenas,
transformemos um
beijo de Amor num periodo de Milhares de Anos, porque para
Deus, o tempo
não existe...e até "um milésimo" de Satisfação,
conforme as necessidades
do momento, dê início ao Começo da Formação de Uma
Nova Galáxia...



clarisse

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Avatar


Avatar



Imagino um Avatar, como um "Anjo"
moderno.
O Avatar, não precisa de Asas, ele se locomove
constantemente, que, com nossa
imaginação,o Avatar é idealizado de acordo com o que o
humano imagina de "morte".
A " morte" é o "outro lado da Vida", mas, com potencias
que no humano, se transformam em Artes, como literárias,
esculturas, pinturas.
Porque, quando o humano se despede do Plano que habita para
se reencarnar na Terra, ele traz todas as experiencias de
que participou no Espaço - isto é, alguns, com mais
Experiencias que outros.
A Imaginação, bombeia o humano, constantemente,
incitando-o a proceder de maneira que ele possa reatar a
ligação com seu procedimento no Espaço, naturalmente,
podendo ser mais enriquecido com o que ja adquiriu na Terra,
na Encarnação de agora.
Conversando com minha amiga Lourdes, eu perguntei à ela,
se era possivel, existirem duas personalidades ao mesmo
tempo, em Planos Diversos... me reportei a uma vez em que li
para ela uma composição minha: e ela, deu a seguinte
opinião: - Quem escreveu isso, ja está morto ha muito
tempo...
Então, eu disse que as duas personalidades, seriam: uma do
Espaço, e a
outra, a da Terra - a do Espaço, trazendo para a da Terra,
reforço, constante do Ganho pela Experiencia, unindo a
Espiritual, com a Humana.
É uma Obra de Arte magnifica, em que o pedestal que a
sustenta é Humano,
para a Obra de Arte de Grande Valor, que é a Espiritual.
Naturalmente, cada Escultor tem o seu talento... Um
Miquelangelo para um Escultor que ainda não se centralizou
com o seu próprio talento.
Lourdes apenas me perguntou: - Você se ve no Espaço e ao
mesmo tempo na
Terra - acha isso possivel?

Respondi que Sim.


clarisse

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

A Solidão da mulher Só

A Solidão da mulher Só

Os Espiritos Incorporados, nos
Centros Espiritas, me perguntavam quando me aproximava dos
seus médiuns interpretes:
- Noutra Encarnação você foi ptonisa, sabe sua missão
de agora?
Eu dizia que "sim", mas o que ia poder fazer com a
experiencia de uma ptonisa, que não existe mais?
A minha penultima Vida na Terra, foi no Sul da India.
Lá, não existem ptonisas, mas a liberdade de Amar, o Amor
Terrestres Sensual, estava liberado para mim, que era pobre,
mas queria amar... e o amor que cultivei e escolhi, me levou
à morte `"num acesso de ciumes" - com esse ato de
violencia, ficamos, eu e "ele" separados e aí começou a
Solidão.
As ptonisas só viam a gélida Vida em sua volta, o frio
dos mármores dos
templos, os seus pés descalços sobre o frio das pedras
dos chãos.
Em Pompéia, os templos perderam seus tetos pelo acúmulo
das cinzas do Vulcão Vesúvio, e me lembro que no pátio
aberto do templo ao deus Apolo,
colhí uma papoula do canteiro paralelo ao muro, e enterrei
a flor em meus cabelos, como homenagem aos deuses sem a
côrte dos adoradores humanos - olhei em volta... o grande
templo deserto e a Solidão que cobre com um veu de
Silencio, a cidade sem túmulos para os que ali
viveram...
Por enquanto, não tenho túmulo, nem Vida em volta... a
não ser os cachorros que me fazem companhia.
Não tenho Templo para a "Minha Religião", a não ser o
Jardim iluminado pelo clarão da Lua, a deusa Diana; do
Egito, é o templo "Saudade" e da
India, as recordações vivas e constantes, que o Decreto
da Existencia,
"pela proximidade" da encarnação, enfeita minha Vida com
uma Ilusão Colorida e Festiva.
Até eu compreender que a Solidão é Uma Iniciação
Secreta da Compreensão
da Razão de Existir.


clarisse

domingo, 21 de novembro de 2010

DOIS TEXTOS

O Templo Interno



Se somos parte de Deus, bastaria
recolhermo-nos ao nosso Templo Interno,
para sentirmos o que desafina com a Harmonia Divina.
O que desafina com a Harmonia Divina, desafina também
conosco.
Tentando adaptarmos à Divindade, lutamos nesse Mar
Interno, em que tudo conspira contra podermos boiar sobre as
águas que nos sufocam, podendo nos afogar; tentamos
nadar... as vezes, conseguimos descansar um pouco...
tentamos boiar, e as águas passam sobre nosso rosto,
entupindo nosso nariz, fazendo-nos sacudir a cabeça para
expelir a água que nos sufoca...
O nosso objetivo, é chegarmos à um porto ou rochedo, onde
possamos subir, para descansarmos um pouco e recobrarmos
forças; mas, percebemos que não nadamos ou boiamos como
deviamos... por que?
É como um pesadelo... desconhecemos o Oceano onde
lutávamos desesperadamente...
Como nos harmonizarmos com esse Oceano, sendo
humanos? E mesmo sendo peixes, ou algo mais afim com
as águas, sobreviveríamos?
Penso que, harmonizarmos com o Oceano é uma coisa, e
harmonizarmos com Deus, é outra coisa...
A figura mitologica da sereia grega, às vezes, mulher
humana da cintura para cima, e da cintura para baixo, um
rabo de peixe, poderia nos fazer imaginar, nós, com Algo de
Deus, e humano, ao mesmo tempo...
E como desfazer essa Humanidade, para na fusão com Deus
Criador, termos
um pouco d`Ele, um "pouquinho" que poderia ser já um
Ambiente Divino?
Se nenhum lugar da Terra pode nos ajudar, apesar de que,
sendo tudo "Deus", como encontrarmos o Ponto Mágico que
pode nos conceder a
"compreensão" da Essencia Divina?
Revertendo-nos para dentro
de nós mesmos?
Resposta da amiga Lourdes:
- Sem Vaidade
- Na Simplicidade
- No Silencio
Clarisse



Uma Sombra em minha Alma




Quando eu era criança, fui um dia ao
Cemiterio com minha mãe visitar um túmulo "lá em cima",
longe do mausoleu da familia, que fica próximo à
secretaria do Cemiterio, logo na entrada.
Perguntei à minha mãe, quem estava naquele túmulo, e ela
respondeu que era uma amiga do padrinho e pai adotivo
dela..
Minha mãe morreu e meu pai quis ser enterrado nesse
Cemitério, por ser num
Bairro próximo às residencias da familia.
Mas... quando meu pai foi verificar os papéis do túmulo,
teve uma surpresa: A Santa Casa tinha ordem de Proibir Abrir
o Túmulo, até para olhar... isto é, nenhum membro mais da
familia, poderia alí ser sepultado.
Como adoro a Arqueologia e "fuçar" coisas do passado e
possiveis Misterios,
comecei pela lápide que tem esculpidas num livro aberto,
de mármore branco,
duas datas, com um intervalo de vinte anos entre as
duas...
As datas não conferem com a mulher sepultada ali, como
conferi na Santa Casa, portanto, "já que é proibido abrir
até para olhar", ser possivel que exista um outro corpo que
foi ali enterrado, com vinte anos.

----------------
Mais tarde, tendo conhecimento da data de minha
encarnação passada na India, e o inmtervalo entre essa
data e a data com que reencarnei no Brasil, uma conhecida
espiritualista, me disse que eu tivera uma encarnação
"aqui" antes da agora em que estou.
Portanto, ha "um homem" que ocultou meu corpo e zela por
esse Segredo.
Teria sido meu pai, ocultando uma ligação que tenha
gerado uma filha (no
sentido de que fosse mulher, como não sei porque, sempre
intuí, que fosse
assim,) ou uma paixão com pouco tempo de namoro, que me
fez uma nascitura
já saudosa de algo do passado desta cidade onde resido.
Uma certa nostalgia, me traz grande tristeza, quando
contemplo as montanhas
da Baia de Guanabara, as florestas do Bairro de Santa
Tereza...
Eu estava morta, e "eles" estavam vivos, agora, estou viva
e "eles" estão
mortos... ou "Ele" está morto, aflito pelas minhas
lágrimas de Solidão.

clarisse

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

As barcas do Rio Nilo (Egito)

As barcas do Rio Nilo (Egito)


Todos os acontecimentos durante a
Vida no Egito, eram comparados às Barcas que deslizavam no
Nilo.
Interessante, que existe no Ocidente, um Bolero "A Barca",
onde a Barca é comparada à uma namorada que se foi e é
esperada "todo o tempo"...
Assim, nossos Destinos, cortados, remendados, tornados à
deslizar no Rio Nilo, são essas barcas, naquela época,
constituidas de papiros ajuntados de
forma que não ficavam "empapados" a ponto de
submergirem...
Contemplei a famosa Noite do Egito, no convés de um
ferry-boat no Nilo... e
naquele momento, minha Vida deslizava navegando sobre o Rio
Imenso das Lembranças, em que eu me imaginava um dia estar
no Egito.
O Egito não me decepcionou, um dia eu o Visitei, eu me
Realizei nessa Visita, como se o Rio Nilo tivesse se
estendido até o Brasil.
O imenso Deserto se compara ao Céu do Egito, como se fosse
um espelho embaçado que não reflete os Astros luminosos
que estão lá em cima, mas é como um Céu Invertido, onde
a Sombra desliza ou... uma cortina que oculta a
Verdade da Morte, que para o Egito Antigo, é a Verdadeira
Revelação da Vida.
A Alma é a Vida Real do Egito e o Espirito a Libertação
do Ser Humano.
A Vida na Terra, é um deslizar nas Barcas sobre as águas
do Rio Nilo, que
não é outra sua missão, desse Rio, conduzir no Planeta
Terra, tudo que existe no Governo Espiritual dos Deuses que
Age como Lenitivo nas nossas
mágoas e sofrimentos.
As Piramides têm paredes espessas e pesadas, mas leves
são as Leis dos Deuses e os conhecimentos Esotéricos em
que flutuam nossas Almas.



clarisse

terça-feira, 16 de novembro de 2010

No Hinduismo

No Hinduismo




Cultiva-se o Hinduismo
Em Nosso Ser
Somos, Ele e Nós
Isso significa uma Jornada
Sem Ida e nem Volta
Mas sim, o Perene
E tudo, é a Vigilancia Constante,
Sem Identificar
Mas, temos o Recurso
de Sentirmos a Divindade
em Nossa Alegria,
em Nossa Nostalgia pela
Pátria Divina

clarisse

Haiti - 0 que está adiante -

Haiti - 0 que está adiante -
coração psiquico, lugar da Vida Subconsciente.
IB - origem do coração consciente, ativo, pleno
de
aspirações e desejos,
lugar de uma vontade lúcida e
consciencia moral - após a morte,é o
IB, que julgará a Vida Terrestre do Defunto.
Hati - Vida subconsciente, Espirito da Alma, Eco
da
Divindade que se fará sentir, ouvir, durante
toda a
Vida
Terrestre - e ao mesmo tempo, não podemos negar
que
não
estamos desassociados da Psique Espiritual,
sempre
atuante,
como pequena luz no corredor semi-escuro que é
nossa
Vida
Terrestre.
Como desfazer, a "amontoeira" de "coisas" que
juntamos
à
nossa volta, como cacarecos num porão?
Zelando pela Psique de Hati, vivendo por Ela,
como
que
zelando pelo Fogo
Sagrado dentro de um templo da deusa Vesta,
tendo
consciencia da Sutil
Divisão Subconsciente, entre o procedimento da
Vida
material e a Aspiração Espiritual, o humano
vive os
momentos da Vida Terrestre, purgando as amarguras
e
gozando
o que lhe traz da Vida Material, enquanto se
pergunta
no que
está errando que irá obstruir a Luz da
Essencia
Espiritual
em sua Existencia Material.
Na matéria, não deixamos de sentir a
Vida
Espiritual, e
à Ela, devemos uma observação constante para
que a
Harmonia mantenha nossa Vida com o Perfume Sutil,
de
uma
coisa guardada numa caixa de ma-
deira perfumada.

clarisse

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

TEXTOS

O Ritmo do Universo


O Raciocinio, provem da experiencia, desde quando o homem, usou sua arte para desenhar nas paredes das Cavernas, no Primitivismo da Humanidade. De onde procedirá o Átomo Divino do Progresso? No entanto, segundo minha meditação no Templo de Pedra do meu crâneo, as batidas do meu coração, que, segundo os Egipcios é o Compasso do Mundo, condizem juntamente com o rítmo, o latejar do Impulso Divino, para a Entrega ao Deus Organizador, que, sem o controle do Ritmo, se perde todo o Compasso do Tempo. Nenhum de nós, acho eu, chegará ao "Desvendar" e o Desvendar, não deixa nada para traz, porque a Revelação Controla Tudo. clarisse



Purusha e Prakriti


O necessario para se libertar da escravidão do seu corpo é conhecer a diferença entre o purusha e a prakriti, o eu e o não-eu. O eu tende a se confundir com a buddhi ou intelecto.
Quando o conhecimento desta distinção é perfeito, a alma não é mais prisioneira da prakriti.
O homem torna-se um espectador indiferente aos acontecimentos do mundo. A morte, o liame entre o purusha e a prakriti é completamente dissolvido, e a alma liberada, contrariamente às outras almas, não mais reencarna. ... a liberdade, é obtida pelo conhecimento. - L `Hinduisme - Kshiti Mohan Sen

"Deus", continua na liberação da Natureza, em sua fauna e nos acontecimentos cíclicos do Planeta Terra.
O ser humano, forma seu carater em resposta aos impactos da Existencia - bons ou maus, e portanto, o ser humano com tendencia à bondade, ou reação aos sofrimentos, é um aspecto da Alma de Deus, do que ele criou como "Deus", e no seu desenvolvimento, tudo isso se transforma, podendo chegar ao Esquecimento, que não é Bem um Esquecimento, mas uma metamorfose de "fases" Boas ou Más, ou até o ponto de nem "uma" nem "outra".
A Alma do Humano, se dissolverá, e suas tendencias, Boas ou Más, farão parte da Conformação do Espirito que Amparará a Alma do Planeta, na Espiritualidade do Universo.
Pode ser até que Uma Conformação Anímica (de Alma) de Elevada Espiritualidade, atue sobre "certo ser humano", transformando-o num Emissário de Grandes Ensinamentos Espirituais.
É o que Sinto

Travessia dos Infernos - o Hades Grego



Na verdade, ao Reencarnar na Terra, sem "esquecer" a Vida que vivera na India no ano de 1750, eu atravessara o Hades, que é o nome do deus do Sub Mundo, e também pode ser traduzido como "Haja Luz".
Vivi uma vida infantil, adolescente e adulta, em dois Mundos: o mundo do Planeta Terra e o Mundo do deus Hades, o deus dos Infernos.
O homem que amei na India, se transformou no deus Eros, e ele foi a causa da minha morte, naquela vida, que, como Psiqué, tive que responder a um Tribunal de causas, efeitos e resgates - e até hoje ainda não cumpri a missão que me levaria ao Perdão - enquanto isso, o Amor de Minha Vida, semelhante ao deus Eros, era consagrado como um Espirito de Muita Luz, que não precisava reencarnar nas provas que eu tive que enfrentar.
Na verdade, vivo ao mesmo tempo no Planeta Terra e no Hades.
O Hades é Poderoso - tudo o que eu faço, é dentro do Sub Mundo, porque habito a Morte e
é no Hades que procuro todas as respostas para a Vida Material, as Reencarnações e a Luz.
Psique, a amante do deus Eros, o Amor, talvez tenha o Segredo da Iluminação, da Luz, que
nos leva a procurar o Perdão e o Amor para Sustentarem a Divina Existencia.
clarisse


segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Purusha e Prakriti

Purusha e Prakriti



O necessario para se libertar da escravidão do seu corpo é conhecer a diferença entre o purusha e a prakriti, o eu e o não-eu. O eu tende a se confundir com a buddhi ou intelecto.
Quando o conhecimento desta distinção é perfeito, a alma não é mais prisioneira da prakriti.
O homem torna-se um espectador indiferente aos acontecimentos do mundo. A morte, o liame entre o purusha e a prakriti é completamente dissolvido, e a alma liberada, contrariamente às outras almas, não mais reencarna. ... a liberdade, é obtida pelo conhecimento. - L `Hinduisme - Kshiti Mohan Sen

"Deus", continua na liberação da Natureza, em sua fauna e nos acontecimentos cíclicos do Planeta Terra.
O ser humano, forma seu carater em resposta aos impactos da Existencia - bons ou maus, e portanto, o ser humano com tendencia à bondade, ou reação aos sofrimentos, é um aspecto da Alma de Deus, do que ele criou como "Deus", e no seu desenvolvimento, tudo isso se transforma, podendo chegar ao Esquecimento, que não é Bem um Esquecimento, mas uma metamorfose de "fases" Boas ou Más, ou até o ponto de nem "uma" nem "outra".
A Alma do Humano, se dissolverá, e suas tendencias, Boas ou Más, farão parte da Conformação do Espirito que Amparará a Alma do Planeta, na Espiritualidade do Universo.
Pode ser até que Uma Conformação Anímica (de Alma) de Elevada Espiritualidade, atue sobre "certo ser humano", transformando-o num Emissário de Grandes Ensinamentos Espirituais.
É o que Sinto
clarisse

domingo, 7 de novembro de 2010

Travessia dos Infernos - o Hades Grego

Travessia dos Infernos - o Hades Grego



Na verdade, ao Reencarnar na Terra, sem "esquecer" a Vida que vivera na India no ano de 1750, eu atravessara o Hades, que é o nome do deus do Sub Mundo, e também pode ser traduzido como "Haja Luz".
Vivi uma vida infantil, adolescente e adulta, em dois Mundos: o mundo do Planeta Terra e o Mundo do deus Hades, o deus dos Infernos.
O homem que amei na India, se transformou no deus Eros, e ele foi a causa da minha morte, naquela vida, que, como Psiqué, tive que responder a um Tribunal de causas, efeitos e resgates - e até hoje ainda não cumpri a missão que me levaria ao Perdão - enquanto isso, o Amor de Minha Vida, semelhante ao deus Eros, era consagrado como um Espirito de Muita Luz, que não precisava reencarnar nas provas que eu tive que enfrentar.
Na verdade, vivo ao mesmo tempo no Planeta Terra e no Hades.
O Hades é Poderoso - tudo o que eu faço, é dentro do Sub Mundo, porque habito a Morte e
é no Hades que procuro todas as respostas para a Vida Material, as Reencarnações e a Luz.
Psique, a amante do deus Eros, o Amor, talvez tenha o Segredo da Iluminação, da Luz, que
nos leva a procurar o Perdão e o Amor para Sustentarem a Divina Existencia.
clarisse


sábado, 6 de novembro de 2010

A Felicidade da Alma - as Repercussões do Espirito

A Felicidade da Alma - as Repercussões do Espirito


A Alma é sensivel à Felicidade da Terra.
Sinto que o Espirito não tem nada a ver com "essa felicidade".
O Equilibrio do Espirito depende de outra procedencia.
A Imortalidade escapa ao nosso raciocinio, porque raciocinamos com a mente mortal, da Alma encarnada.
Dependentes da Alma Mortal, não sabemos abrir a porta para a Imortalidade.
Talvez, os Sentimentos da Alma Mortal, se esfacelem não tendo mais a razão de Viver que protege as Ilusões do Bem Estar e da Felicidade.
Os cacos da Alma Esfacelada, são envolvidos pelas ondas do Oceano da Eternidade e espalhados ao léo...
O Espirito tem outra "medida", alcançada em outra Fase Divina.
Que o Coração Hati, do Egito, o Coração Subconsciente, já ponha para flutuar no Oceano da
Eternidade as repercursões da chegada de vislumbres das palpitações do Espirito...
clarisse

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

A Procura



A Procura



Nós não sabemos o que procurar.
Nada sabemos sobre nossa Origem.
Porque, o que temos "na cabeça são idéias já advindas" que nem sabemos como surgiram... e, de onde vieram...
Os Mestres falaram num Pai Criador - mas não disseram "quem criou o Pai".
Os Sacerdotes Egipcios falaram em vários deuses - porque, os deuses estavam alí, e, em cada Estado do País Egípcio, como Menfis, Tebas, em cada Estado era uma Religião.
Um Faraó Egipcio, Aknathon, se referiu ao Deus Único, e se mudou de Tebas, a Capital do Egito, para um lugar árido no Deserto, All Amarna, e lá, fez o cultivo da Nova Religião, com Templos abertos à Claridade do Sol ao invés dos Templos Soturnos das primitivas Cidades do Egito - mas, competindo com os deuses dos Sacerdotes, a côrte, com a morte de Aknathon,
voltou à Capital Tebas, e tudo ficou como antes...
O Buda Sidarta, nunca se referiu à Criador, nem Pai... sempre se dirigiu ao proprio ser humano e que ele, o Ser Humano, se Criasse a Ele Mesmo e Fosse Autor, na Medida de Seu Entendimento, até onde ele pudesse alcançar... porque "ele" não ia parar aí, e "tudo iria se transformar baseado no que ele fosse desvendando".
Hoje, é Dia dos Mortos... muitas Encarnações tive eu, e em cada uma delas, adorei a Deuses, servi à Deuses... e no Catolicismo, adorei um Deus-Pai.
Localizei o Amor, e persegui vários "Amores Terrestres"... e a Solidão do Universo me respondeu com Eco de Mim Mesma...
clarisse


O Tempo e a Reencarnação

O Tempo e a Reencarnação



Nasci num país, onde me recordava da Vida passada noutro país.
Portanto, minha alma, uma vez que, uso minha alma para as atividades através das encarnações - Alma Viva.
O Espirito, uma Essencia Eterna, que pode fazer parte da Alma Total, permite que a Alma renasça quantas vezes quiser...
As personalidades que viveram no Planeta Terra, em diversos paises, retêm impressões dos diversos lugares por onde viveram.
De que nos serve Isto?
Que Influencia recebe o Espirito das Diversas Vidas da Alma?
Por que certas pessoas não se lembram das Vidas passadas na Terra e outras se recordam -
e até têm saudades delas?
Por que, eu, retinha na memória da Alma, Anímica, acontecimentos tão nítidos, que serviram para me orientar aonde eu deveria ir, para voltar ao lugar onde vivera?
Eu era pobre, vivia na India do Sul, quando na Europa, precisamente na Italia, li num livro de turismo da India o nome "Madurai", e isso me provocou um "choque" tão grande, que gritei para aquela que me serviria de guia: - É aqui! É aqui que eu quero ir!
A aldeia onde se passara essa existencia, era pobre, a única coisa "grandiosa" era o templo,
nas cores azul e rosa, diferente de um templo em pedra - nas minhas recordações, eu via um
templo mas não diferenciava se era de pedra ou pintado de rosa e azul - via nitidamente, as
montanhas baixas atrás e um pátio retangular do templo, com uma montanha marron, baixa,
que eu via no muro que fechava o pátio retangular.
Isso, foi uma terrivel provação... eu mesma não me compreendia, quanto mais os outros...
Como sempre me interessei por Mitologia e a Religião Egipcia, procurei as ordens esotericas, que, a única coisa que me diziam, os esotéricos, foi:
- Você não pode divulgar isso... "Aqui", entre nós, você não pode divulgar os nossos ensinamentos... - em primeiro lugar, não ensinavam nada que me ajudasse nesse meu problema... e eu comecei a desafia-los...
E quando começamos a "desafiar", é o momento de investir... e eu fui para o Sul da India, e
depois de visitar muitos templos, perguntei a um chofeur onde existia um templo do deus
Shiva, com montanhas atrás. O chofeur me disse que conhecia esse templo, ficava 8km fora da cidade, mas, ele me levaria lá.
Resultado: entrei descalça no templo; a torre alta da entrada do templo não deixa ver as montanhas atrás.
O reconhecimento, foi o impacto com a visão das paredes dentro do templo.
Reconheci um compartimento, onde gritei: - Como está diferente!
O pátio retangular embaixo, tinha virado um grande lago, mas, a montanha marron, que estava
atrás do muro que fechava o pátio, estava lá!
O templo é consagrado ao deus Murunga, o Subramania, filho do deus Shiva, deus guerreiro
que cavalga o pavão.
Depois, nas fotos, eu vi as montanhas atrás, que davam a impressão de que o templo estava
encostado nelas...
Não é possivel que isso só aconteça comigo... as pessoas devem colocar em ordem, certos
pensamentos, tendo em si, que a Alma vai e vem, atravessando vidas e mais vidas, e que a
"familia" é o nosso carcereiro: as vezes bom carcereiro e as vezes mal carcereiro. Pais e filhos podem nos dar grande apoio na existencia terrena, como nos dar grandes aflições e desgostos... amigos podem nos ajudar nesta vida, e é com o que mais devemos contar... me
lembro de uma novela da Globo, em que ouvi a seguinte frase:
- Nenhum marido gosta da melhor amiga da esposa. - porque a "melhor amiga" sabe de tudo e ajuda a esposa "do dito cujo" em todos os percalços... porque, afinal de contas, o casamento é uma união de dois desconhecidos.
Não me casei. Tive amores, mas não me casei. E tenho os homens como mais inteligentes
que as mulheres e quando "nossos amigos", não existe melhor dádiva da Vida para uma Libriana.
Grata por terem me ouvido
Clarisse

terça-feira, 2 de novembro de 2010

A Procura

A Procura



Nós não sabemos o que procurar.
Nada sabemos sobre nossa Origem.
Porque, o que temos "na cabeça são idéias já advindas" que nem sabemos como surgiram... e, de onde vieram...
Os Mestres falaram num Pai Criador - mas não disseram "quem criou o Pai".
Os Sacerdotes Egipcios falaram em vários deuses - porque, os deuses estavam alí, e, em cada Estado do País Egípcio, como Menfis, Tebas, em cada Estado era uma Religião.
Um Faraó Egipcio, Aknathon, se referiu ao Deus Único, e se mudou de Tebas, a Capital do Egito, para um lugar árido no Deserto, All Amarna, e lá, fez o cultivo da Nova Religião, com Templos abertos à Claridade do Sol ao invés dos Templos Soturnos das primitivas Cidades do Egito - mas, competindo com os deuses dos Sacerdotes, a côrte, com a morte de Aknathon,
voltou à Capital Tebas, e tudo ficou como antes...
O Buda Sidarta, nunca se referiu à Criador, nem Pai... sempre se dirigiu ao proprio ser humano e que ele, o Ser Humano, se Criasse a Ele Mesmo e Fosse Autor, na Medida de Seu Entendimento, até onde ele pudesse alcançar... porque "ele" não ia parar aí, e "tudo iria se transformar baseado no que ele fosse desvendando".
Hoje, é Dia dos Mortos... muitas Encarnações tive eu, e em cada uma delas, adorei a Deuses, servi à Deuses... e no Catolicismo, adorei um Deus-Pai.
Localizei o Amor, e persegui vários "Amores Terrestres"... e a Solidão do Universo me respondeu com Eco de Mim Mesma...
clarisse




Poema para Ank (o simboo da Vida)



Poema para Ank (o simboo da Vida)




No Egito Antigo
Ank é Existencia - Atualidade
Ank é Vida, Realidade
Ank passagem pelo Deserto
Contemplação das Tamareiras
que dançam suas cabeleiras Verdes
ao vento constante

Lá no Horizonte,
na fimbria do Céu,
onde o deserto se esquece em
Alexandria
e o mar teme o Nilo,
o rio Sagrado

Ank a Vida Real
que apaga a Existencia
para se Eternizar
numa Divindade que buscamos
como Verdade Inacessivel
mas está em Nos
clarisse

Ternura

Ternura



A Imagem que criaram para Jesus, foi de uma pessoa meiga e terna.
Faço idéia dele de um homem de tipo oriental, moreno, olhos negros.
Seu apostalado foi de ternura para com as crianças e os pombos soltos nas gaiolas que iam ser vendidos para sacrificio no templo, soltos, com esta frase:
- E estes também.
Outro gesto de carinho, foi quando socorreu a filha de Jairo, prostada ha muitas horas, a ponto de terem-na como morta:
- Talita cumi - que traduziram assim: - Filinha levanta-te!
Muitos, inclusive amigos meus, não acreditam na personificação de Jesus - acham que Jesus e
Buda nunca existiram.
Se não existiram, quem os criou ou inventou foi muito criativo, inclusive no Mahaiana, O Grande
Veiculo Budista, no imenso diálogo do Buda Sidarta com seu discipulo Ananda, sobre como é constatada a visão de seu punho - Com o que vês, Ananda, com os olhos?
Identificamos o Mundo, não apenas o "vemos".
Essa Identificação é a projeção de nossa Vida por onde passamos em nossa Existencia e o que colhemos dela.
Se foram inventados, Sidarta e Jesus, estão bem definidos, em suas nacionalidades e no modo
como procederam, no acolhimento do povo que os procurava.
Eu, Clarisse, acredito que estiveram entre nós: Jesus Christo e Buda Siddarta.
clarisse



segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Poema para Ank (o simbolo da Vida)




Poema para Ank (o simbolo da Vida)





No Egito Antigo
Ank é Existencia - Atualidade
Ank é Vida, Realidade
Ank passagem pelo Deserto
Contemplação das Tamareiras
que dançam suas cabeleiras Verdes
ao vento constante

Lá no Horizonte,
na fimbria do Céu,
onde o deserto se esquece em
Alexandria
e o mar teme o Nilo,
o rio Sagrado

Ank a Vida Real
que apaga a Existencia
para se Eternizar
numa Divindade que buscamos
como Verdade Inacessivel
mas está em Nos
clarisse


domingo, 17 de outubro de 2010

Repartindo nós mesmos

Repartindo nós mesmos



Quando solicitamos uma Graça, entregamos nós mesmos à Solicitação da Graça.
Todo Socorro, levará algo de nós.
Sem nos entregarmos ao Pedido, o Pedido não tem Substancia.
A Substancia é nossa humanidade repartida como entrega total naquilo que almejamos como
Socorro ao Necessitado e, ao mesmo tempo à todos que, como o Necessitado estejam passando por agruras.
A Suplica de uma Graça sem reparti-la em nós mesmos, é um egoismo e basta "um egoismo"
para prejudicar a Força do Pedido.
O simbolo Maçon do Pelicano repartindo o alimento do seu papo com os filhotes, é esse simbolo.
O Pelicano alimenta os filhotes com suas entranhas - é o que devemos fazer em nossas súplicas - porque suplica é mais que pedido e nossa súplica é alimentada com o que adquirimos espiritualmente e a entrega de todas nossas experiencias terrenas para aquele que necessita de reforço em suas provas.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Homem Amigo

Homem Amigo


Sou mulher,
minha contra-parte é o homem.
O Homem é meu equilibrio, ele é o Polo Positivo, e fui gerada pelos deuses, no Polo Negativo.
Além dos Polos, está o Mistério da Criação, a Geração que depende de uma Balança, não só
usada pelo deus Anubis do Antigo Egito (homem com cabeça de cachorro) hoje, simbolo do Signo de Libra, como dos Destinos do Planeta Terra, que caem e recaem, conforme a Balança oscila em resposta às Ações das Almas no Zodiaco, faixa que circunda o Planeta Terra.
Assim, Anubis regula a pesagem da imensa Balança das Vibrações das Almas e das Correspondencias dos Destinos.
O Homem deveria ser a Resposta Positiva para as Ansiedades do Polo Negativo, assim como para o Polo Positivo, o Polo Negativo, deveria responder à Imaginação do Positivo, às
Criações Artisticas.
Aliás, segundo "meu ver", a Arte, a Imaginação, é Parte Importante entre os Dois Polos.
A Carne é Perecivel, enquanto a Imaginação é Imortal.
Perante à Imaginação, a Verdade se divide "na Verdade de Cada Um" perante à Justiça Divina.
Em minhas Encarnações, com quantos Polos Positivos, irei me deparar?
O Aperfeiçoamento no Julgamento Divino, é uma Longa Estrada... Com quantas Estações irei
me deparar nessa Longa Estrada?
Se Deus me responde por "Um Polo Positivo", tenho muito para retribuir, e os Amigos Positivos até agora, foram os que me estenderam a mão e todos, são pessoas Espiritualistas
de Grande Sensibilidade e Bondade Perfeita - que Deus lhes retribua no que eles são e os
Engrandeça no que merecem, pelo que até hoje, fizeram por mim.
clarisse

Solidão

Solidão



A Solidão é ilusória.
Mas, a Solidão, assim como todas as provas que o ser humano sofre em sua Vida na Terra, confunde o humano, que muitas vezes deseja estar só, ou visa um progresso espiritual em que é melhor estar na Solidão.
O Espirito também pode sentir solidão, apesar de não estar retraido pela carne que envolve os humanos na Terra....
...é que o humano ainda não sabe usufruir a Espiritualidade Liberta daquele que ainda não se ambientou na Espiritualidade.
É necessario para o humano, saber viver o Reino Espiritual na Terra.
Existem sensações que só o Espirito pode dar ao humano.
O humano deve saber abrir os braços para a Recepção do Espirito, e se entregar à Vida Espiritual, observando-a em todos os instantes para se acomodar à Espiritualidade e vive-la
na Vida Material tão cheia de atribulações.
clarisse

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Humildade na Perfeição Divina

Humildade na Perfeição Divina



Quem somos nós para nos avaliarmos a nós mesmos?
Para nos avaliarmos a nós mesmos, não somos capazes.
Mas, a Chama Sagrada, representante de Deus, Em Nós, deve ser reconhecida.
Aquilo que deve ser zelado, precisa de nossos cuidados e observado constantemente.
A Observação é como se A observassemos a Distancia, com o Respeito que requer Quem
Por Quem Zelamos e Observamos constantemente...
Para Zelarmos pela Chama Sagrada em nós, o Nosso Pensamento tem que ser observado constantemente para não incorrer numa falha de Má Observação de Ego.
Antes de nosso Ego, está tudo, porque é a Criação Divina.
Dentro de Nós, existe um Ato Divino - por Esse Ato, devemos viver e nos esquecermos n `Ele.
O Mais, é Decreto d `Ele, Fiel, Justo porque foi em Nós e de acordo conosco, que foi Decretado!
clarisse


domingo, 10 de outubro de 2010

Ponderações no caminho de Deus

Ponderações no caminho de Deus



Aqueles que confiam "em si mesmos", que descobriram, a capacidade Divina que todos possuimos, em menor ou maior intensidade, ajudados por nossa Inteligencia, devem observar atentamente onde e como essa Centelha Divina se manifesta em nosso procedimento.
Tudo o que fazemos, seja o que for, raciocinio, sexualidade, elevação espiritual numa meditação, tudo tem que ser ponderado com a Chama Divina.
Não devemos ter vergonha da Presença de Deus.
Se não estamos mais no Reino Animal, ja estamos na Etapa Divina, com a Responsabilidade
da Consciencia em avaliar nosso procedimento, que deve ser devedor à toda Definição na Divindade, as etapas de nossa Vida Carnal, são poucas em relação à Eternidade mas a Percepção Divina Despertada é uma Grandiosidade que vamos organizando em nós, com toda Potencia adquirida e parcialmente compreendida - e - isso pode se chamar Evolução, ou
Recepção à Divindade.
A Iluminação é o Objetivo, e o Destino não é outro.
clarisse

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Coração Indomado

Coração Indomado



Coração,
o Órgão principal no
Antigo Egito,
era a Correspondencia
entre o Ser e os Deuses.
Somente como Receptáculo
para a Indicação
do Destino do Ser Vivente,
não dava ao Ser Humano,
a Chave para Seu Dominio,
que podia ser a mesma coisa
para a Perda da Existencia Incompreendida
e a Recepção da Orientação para
a Revelação
Assim, no Amor, na Entrega de um
Ser para outro,
a maior dor quando a
Entrega tinha a Total Sinceridade,
era a Traição de um Ser para Outro Ser
- os Deuses aproveitariam a dor
daquele que foi traido na sua Entrega Total
e Esperança da Correspondencia
na Humanidade para uma Felicidade,
como um degrau na Escada da Evolução?
Tudo fora dos Deuses,
é Ilusão.
Aí, Hati, o Coração Subconsciente,
que guarda a Chave
da Revelação
se aproveita da dor daquele que foi
Traido,
e se transforma na Misericordia
dos deuses e não o abandona
um só instante
até à Iluminação
clarisse




segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O Misterio da Unidade

O Misterio da Unidade

Que misterio é este que pertencemos à várias facetas ao mesmo tempo e não somos múltiplos?
Encarnados na Terra, essas facetas para alguns incomodam, para outros, os divertem e os ajudam na sua conectação com as disparidades, evitando a Depressão.
Existe o conceito de que no Espaço, seja lá o Espaço que for, após a morte, a Diversidade de
nossas facetas, tomam um aspecto diferente do impacto na Terra - então, a posição na Matéria e no Espaço, são bem diferentes até podermos nos ambientar à Elas e convivermos "de acordo" - isso dura "um tempo" até a ordem: - Você deve reencarnar agora!
Porque não tentamos colocar esses tipos de apresentação de Almas, numa conectação que nos facilite "ao mesmo" tempo progredir na Terra com a ajuda desse Aspecto no Espaço?
clarisse


sábado, 2 de outubro de 2010

Sangue na India

Sangue na India



Você pensou que o sangue
ia me afastar de ti.
O ciume
é outra faca,
que os Dirigentes do Universo
podem usar de Diversas maneiras...
A tua dor,
acaba nada valendo
diante do ciume...
O ciume,
é que iria ditar nosso Duplo Destino.
Você continuou com os Grandes Espiritos;
- mas sofrendo pelo que via eu sofrer
É no interior de mim mesma,
dobrando meu orgulho,
sem atentarem pela piedade sentida aos
necessitados e aos animais sofridos,
que os Grandes Dirigentes
se sentiam aptos em me transformar.
Nos separando,
para eles é indiferente que eu ainda te ame,
e de ti tenha tanta Saudade...
A India
nada pode fazer por Nós Dois.
Quando voltei ao Templo em que
servi,
foi para devolver o Sangue
que ali deixei,
na Esperança de que por esse Sangue,
o Templo fizesse nosso reencontro
na Estrada da Vida.
Ainda estamos separados...
o ciume é o verdadeiro cutelo,
e o ciume não pode ser esfacelado
como nosso corpo,
nem recriar outras veias que conduzam
sangue que não pode ser perdido
no Altar dos Deuses.
clarisse

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Antigo costume dos padres católicos

Antigo costume dos padres católicos



Antigamente, não tão "antigamente assim", os padres raspavam o cabelo na cabeça, formando uma "tonsura", ou esfera de pele.
Na crensa esotérica hindú, pode ser uma referencia ao chackra "Sahashara", o da Iluminação,
consequente da subida da Kundalini, a Luz sagrada que ascende do chackra muladhara até o
chackra da cabeça.
Esse símbolo do Sahashara, também está nas coroas dos Reis, e nas coroas das imagens dos Santos Católicos.
A Iluminação na cabeça, puxa toda inferioridade das tendencias humanas, transformando, e,
a Transformação é trabalho do deus Shiva, que "não é o Destruidor, mas sim o Transformador".
O ser humano Iluminado, se transforma a si mesmo, agindo ao mesmo tempo com o Plano
Superior que lhe é Adequado e com as Vibrações Terráqueas que lhe são afins com sua Iluminação - essa Vivencia multipla, torna nossa convivencia com Esse Ser, um conforto em
nós e um equilibrio Espiritual para nos ajudar à mais conquista na Divindade.
clarisse



terça-feira, 28 de setembro de 2010

Se Eu Me Casasse Com Tutankamon (Rei do Egito)

Se Eu Me Casasse Com Tutankamon (Rei do Egito)



O Casamento com Tutankamon, Rei do Egito, morto aos 19 anos de idade, seria pura Sensualidade.
O Tesouro de Tutankamon, encontrado na sua Sepultura, no Deserto, no Vale dos Reis, não poderia competir em todo seu Valor, com a Sensualidade de Tutankamon.
A Sensualidade do Vale dos Reis, era um Mundo gêmeo do Mundo do Egito, seu País, o materialismo de sua riqueza, os sabores dos seus banquetes com Vinhos, Música em suas flautas de dois tubos, as pequenas Harpas, os tambores, o perfume dos cones de cera com
essencias perfumadas, que as mulheres colocavam sobre a cabeça... e que iam derretendo
com o calor do Deserto e com o calor dos corpos suados e bezuntados com a secreção dos
órgãos sexuais.
Dizem que o Céu mais belo do Mundo é o do Egito...No convés de um navio que singrava o Rio Nilo, eu olhei o Céu Estrelado - não... o mais Belo Céu do Mundo, na minha opinião, é o
Céu do Brazil!
Rolar abraçada com o corpo do Ente Amado, sob as Etrelas do Egito ou do Brazil, o Egito retém com sua Magia Bruxa, a Sensualidade Profunda e Densa, do Mel das Tâmaras e dos
Suspiros dos Deuses, Suspiros aos quais temos direito, porque os Deuses do Egito nos transmitem o Segredo do Mundo pelos seus Suspiros e Conservam nossas Almas na Sensualidade Roubada ao Criador dos Universos.
clarisse

domingo, 26 de setembro de 2010

Sobre Figura do Apocalipse

Sobre Figura do Apocalipse


No Apocalipse de São João, que ele escreveu na Ilha Grega de Patmos, ha uma referencia interessante, digna de ser estudada: - os corpos que têm olhos por dentro, e são muitos olhos.

Ora, os nossos olhos que estão em nossos rostos e olham as coisas externas, quando sãos, naturalmente, constatam as coisas externas: - e, os olhos que cobrem os corpos internamente? Que Vêm?

O que vemos, quando olhamos para dentro de nós mesmos? - Não com dois olhos, como os do rosto, mas milhares de olhos internos?

- O que a Razão de Viver, não nos é revelada pelos olhos externos.

Ver é constatar.

O que é constatado pela Visão Interna, não está sujeito à Dependencia da Natureza, do Mundo.

A Constatação feita por Algo a que não temos Acesso, também não teremos a compreensão
que depende "desse Algo".

O Olhar Interno interdepende de nosso Ser Material.

É possivel que a Constatação do Olhar Interno perceba a Razão de Ser tanto Espiritual como Material - pois o Material depende do Material, mas interdepende do Espiritual e o X da Revelação está à Disposição do Humano, como Tudo, pois a Criação que é a Realização devem ser A Mesma Coisa, pois o Humano é Herdeiro Direto da Obra do Criador e Tem por Isso Todo o Direito Correto da Herança de Deus.
clarisse

Solidão no Amor

Solidão no Amor


O Amor foi criado para aniquilar a Solidão.

Quando o Amor invade a Solidão, "Ele" não destrói a Solidão, canalhamente, ele engana a Solidão.

Um dia, a Solidão se encontra invadida pelo Cruel do Nada Concedido, e não existe o que poderia, de direito, estar ali, protegendo a Solidão.

Sobre o Deserto da Solidão, o Vento na Sua Também Solidão, levanta a Areia espalhando-a por todos os cantos onde a areia se espalha, esgarçada, sem mais se recompor com um pouco de Si, que pudesse se transformar novamente no Deserto, na Espera de alguém que galopando um cavalo contra o Vento, estivesse certo de um Encontro onde nem o Vento pudesse destruir um Sólido Amor.
clarisse

sábado, 25 de setembro de 2010

Anahata

Anahata



Os egípcios, tiravam os órgãos dos corpos para serem embalsamados - menos um: o Coração.
O nosso Coração, tem dois movimentos: Sístole e Diástole: esses Dois Movimentos, que fazem o Sangue percorrer o Organismo, mantendo a Vida Terrena, pela Seiva do que é o
Sangue, podem existir no Universo, comandando outra espécie de "Sangue" na manutenção
da Existencia.
Deve haver uma Macro e Micro correspondencias nos intercursos da Manutenção do que é a
Vida - nada do que o Humano não possa captar com sua Percepção Intuitiva - tal é a Similitude entre o Criado e o Criador - Deus e o humano.
No Egito Antigo, Hati era o Coração Subconsciente e Ib, o Evolutivo.
Na India, o Anahata, é o Chackra do Coração - mas, a India dava mais importancia à Geração.. O Lingam, representação do órgão masculino da procreação, era sempre representado dentro do Útero da mulher - porque, o que interessava, era a Geração - Ione, era o nome da genitália feminina.
Além da Geração, há a Sintonia entre o Humano e Deus. A Sintonia pode ser Reveladora, até
o ponto da Evolução Espiritual do Humano - e não sabemos, se no Reino Animal, alguma sintonia despertada, ative uma Percentagem Divina - em qualquer dos Reinos da Criação, imagino que "Isso" possa acontecer.
India e Egito, Egito e India, são hoje, os mais ativos, no que foram Grécia, Tibet, China...
O Tao, da China, é uma reflexão contínua, onde o humano é Ação e Reflexão ao mesmo tempo, e o "momento" poesia...
China - O Bule de Porcelana,
derrama chá na pequena taça,
que o senhor da Grande Casa,
estende para colher a bebida perfumada
com jasmim.
Pela janela aberta, vejo
um besouro voar zumbindo sobre as azaléas
vermelhas...
clarisse

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Carne de Deus Entre Nós

Carne de Deus Entre Nós



Todo Sofrimento, é a Reversão de Deus entre nós... até nos animais.
Me recordo de um dia, no local em que eu trabalhava, uma colega de escritorio, me dizer:
- Hoje vi um cão ser apedrejado na rua, porque ele teve uma convulsão... igual às que o meu
cachorro tem... as pessoas pensavam que ele estivesse com hidrofobia...
... mas a minha colega nada fez para proteger o cão...
São os Grandes e os Pequenos Sofrimentos, todos Eles, que encerram neles o Sofrimento de
Deus.
As pessoas dizem: - Porque Deus consente nessas coisas?
Porque, penso eu, Essas Partes de Deus, precisam ser aperfeiçoadas... Tudo é Deus. Nada
Existe, que não seja Ele.
Libertar Deus em nós, é nos Iluminarmos.
Quanto aos animais, os humanos têm que ter consciencia do sofrimento que impingem neles.
Não há necessidade nenhuma, de comer carne. A matança de milhares de Bois, milhares
de carneiros, cabritos, galináceos... até os animais do Mar... enquanto fizerem essa crueldade, a Terra terá doenças e sofrimentos...
Somos partes de Deus, revertendo n`Ele - e nessa Reversão, toda Nossa Entrega deve ser
feita com o máximo de Dedicação, Reconhecimento e Amor.
clarisse

Estou roubando a Luz para os homens

Com relação à Religião do Antigo Egito, recebi uma reprimenda.
Me avisaram que eu estava entregando sem autorização "dos Chefes" alguns Tesouros Espirituais do Antigo Egito - O Egito, é hoje, um país como os outros, que dividem o Planeta Terra - e ninguém jamais, agora, compreenderá o Egito Antigo.
O Egito trouxe para a Terra, o Segredo do Mundo; não o segredo do Começo do Mundo, mas o Segredo "Em Si", do Mundo.
Este Tesouro do Egito, retornará à Sua Fonte, para outra Civilização.
Uma Pista, o Egito deixou, entregou aos Homens: - o Segredo do Coração - um Órgão que é a Chave para Uma Revelação dos Deuses.
A Sabedoria do Cérebro, não vai suplantar a Revelação do Coração.
Enquanto a Sabedoria poderia se espalhar, confundir os homens, faze-los discutir entre si suas "descobertas", o Coração em Suas Palpitações, entesouraria Aspecto da Verdade - porque a Sensibilidade, que é a Repercursão de Todos os Sentimentos da Criação, não daria
tranquilidade aos homens, até a Descoberta de Aspecto da Verdade.
clarisse

Tudo com o Universo‏

Vestindo somente uma roupa velha,
me aproximei do Arroio Gelado
que, descendo da Colina,
serpenteava na planicie gramada.
Dentro do meu corpo,
o Esperma morno,
se adaptava qual potencia
mantenedora
da Galáxia que se desdobra
sobre meu País.
A semente geradora do meu gozo
se misturava à Natureza,
fazendo parte das flores perfumadas,
que atraiam os insetos e os pássaros,
a procura do Mel que alimenta.
Completada pela euforia do gôzo
tinha Consciencia que as moléculas
mantidas pelo Esperma morno
me tornavam em matéria e Alma,
Una com o Universo.
clarisse


segunda-feira, 20 de setembro de 2010

As Vitórias na Terra

As Vitórias na Terra



Contos da Grécia Antiga, Contos da Pré-História, apresentam o mesmo desenvolvimento: o Herói vence o que fôra combater, e volta sem cumprir uma promessa:
- As vezes, promete que se for vitorioso, hasteia uma Bandeira Branca, senão,
volta com a mesma bandeira preta de quando partiu... é o que falta, para o
pai ou a namorada, para quem prometeu mudar a vela, se matarem de desgos-
to ou morrerem pela Decepção dessa Grande Perda.
Nada se coaduna ou é enquadradado nos Destinos Terrestres. Não temos uma consciencia
clara do que nos sucede. Se a Ponta do Triangulo, imagem Divina, penetra nessas circunstancias, sentimos um minimo Conforto, que às vezes Produz um Desejo de mais conhecimento do Divino - e crescemos Espiritualmente nos transportando para outro enqua-
dramento de Vida. Também, a Morte pode nos ajudar, como no meu caso, a recordação de
minha Encarnação na Pobreza da India do Sul: essa circunstancia sempre aguçou meu des-
locamento da Vida Material - eu era pobre, mas Devadase do Templo Thiruparakundram - o
que me facultava a constante relação com a Divindade e o Esoterismo do Desempenho do
Deus Shiva na Transformação na Humanidade e no Espaço Sideral.
clarisse


O Oceano de Mistério

O Oceano de Mistério



Esperando visitas para o dia seguinte,
e já tendo escolhido a roupa que vestiria,
fui examinar a Caixa de Joias,
para ver se conseguiria misturar Cordões de Prata
com Cordões de Ouro e pingentes - como aliás,
está em moda agora.
Então,
fiz uma visita aos dois colares de pérolas.
Um dos colares,
ganhei quando fiz 15 anos de idade,
o outro, herança de familia,
desde uma das avós.
O colar de perolas herança,
é do tempo em que os megulhadores
do Oriente,
tinham esse trabalho como sustento
de suas Vidas - e quantos, não deram
suas vidas pelas pérolas!
Até existe uma ópera: O Pescador de
Perolas de Nadir - de Bizet.
Agora, as pérolas são cultivadas em
Fazendas de Ostras, invenção japonesa,
e ninguém mais corre risco sério de Vida.
Um colar do Reino de Poseidon,
tem pérolas irregulares em tamanho e cor -
até mais escuras - pois era muito dificil
terem pérolas para formar um colar.
Sou a terceira herdeira do colar e já tenho
herdeira para "ele" - uma sobrinha - dizendo
para ela, as palavras de um joalheiro:
- Este colar, não tem preço.
Morrerei, habitarei zonas diferentes da que
habito na Terra, outro Oceano em que mergulharei,
e terei sofrimentos até habituar mais um pouco de
mim mesma nas Zonas do Oceano de Mistério.
Tive diversos nomes em minhas Encarnações: -
agora, nesse novo Oceano,
terei de aprender a chamar a mim mesma,
porque, já é tempo de chamar Netuno

Ouro na Alquimia

Ouro na Alquimia



No Egito Antigo, o Ouro simbolizava Pureza Alquimica no Carater de quem ia ter seu corpo preparado para a Morte.
Nenhuma Impureza ou Resvalo, era esperado dos Faraós, Os Sumos Pontifices, que iriam reger o Reino como Reflexo dos Poderes das Divindades.
O Faraó, ofertava todas as suas Ações aos Deuses, e não poderia, jamais, ofertar aos Deuses algo que não estivesse de acordo com a Regencia Divina.
As Palavras são traiçoeiras, por isso era melhor que os Designos estivessem na Regencia dos Deuses.
Além dos Pensamentos Humanos, receber os Designos que nós temos dificuldade em traduzir, mas na Esperança Alquimica, estejam em acôrdo com a busca do Espirito na sua
Recepção dos Deuses.
clarisse

Livre des Morts des Anciens Egyptiens - Gregoire Kolpaktchi

Livre des Morts des Anciens Egyptiens - Gregoire Kolpaktchi



Quoi que je fasse
de toutes parts je suis enveloppé
Par la Lumiére du Jour Eternel

Por qualquer coisa que eu faça,
em qualquer lugar eu sou envolvido
Pela Luz do Eterno Dia

A Luz do Eterno Dia me envolvendo, tudo na Vida, se refere à Ela. O movimento em direção à
Luz, não existe: a Luz É, gera, É, é Senhora De, Realiza.
Se Somos Realizados na Luz, o Passado, o Presente, não Existem Mais.
A Luz é Primeira - ou melhor, é Antes, no Agora e no Depois.
Sejamos para Ela, a Luz.
Que Tudo seja Luz, em nossos Atos.
Que Vivamos para a Luz.
clarisse

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

PATANJALI

Estudo - Patanjali


30. O conhecimento então, despojado de véus e de impurezas , torna-se infinito e o conhecivel
torna-se pequeno. (Capitulo IV - Independencia - Desejos e Objetos da Mente - A Yoga, nos
Aforismos de Patanjali - Lin Yutang.)

"O Conhecimento despojado de véus e impurezas, torna-se infinito." - porque, Infinito, é tudo o
que o humano não classificou, porque que conhecimento tem o humano para classificar o que
quer que seja?
"O Conhecido torna-se pequeno" - porque está dentro da classificação humana.
E como viver, sem a classificação humana?
Viver com a classificação humana, é expor a Vivencia aos percalços da Existencia não tendo
outro respaldo que o julgo humano.
Os Olhos do Espirito têm noção do Infinito.
A Sabedoria do Espirito está consignada às Etapas da Transformação da Mente, Metamorfose esta dependente da Iluminação que o Inconsciente já se desfaz na Verdade da luz.

sábado, 11 de setembro de 2010

Jamais Te Esquecerei

Jamais Te Esquecerei

Para Sergio Furtado


O Sabiá,
não cantou hoje pela manhã,
em meu jardim.
Eu tomava o café da manhã,
com o canto dele e...
sabia... que quando levantasse da
mesa
e ia para a sala do Computador,
eu talvez... esse "talvez" acelerava
as batidas de meu coração...
encontraria alguma mensagem
"sua", entre os emails que iria
receber
O mais doloroso era o Silencio
do Computador
Esse Silencio,
era como o ar que passa sobre
os túmulos do Cemitério,
porque me traz o suspiro
"de nunca mais"
claridade

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Controle

Controle



Não se pode Reger o Controle, pelo Controle.
Ha alguma coisa a mais, ou além, que dispõe sobre o Controle.
E que Controle, almeja o Homem?
Um Controle que não interfira nos desejos intimos do Ser.
Um Controle Não-Egoista.
O Controle pelo Controle, tem que estar fora da Ação Egoista.
O Ser está num Estado não-mais identificado com o físico, mas, num Estado numa matéria que pode agir em outros aspectos de matéria - e ai, o Ser, ele próprio, já é outro Ser.
Mesmo na matéria, com o Olhar para Dentro de Nós Mesmos, a Metamorfose se processa.
clarisse

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Tesouro Sagrado

Tesouro Sagrado



"Tesouro Sagrado" é, ou "era" o nome de uma Condecoração Japonesa, que um avô meu, recebeu do Pai do Imperador Hiroito, do Japão.
A Comenda é grande, pesada e belíssima!
Sobre metal dourado, que pode ser Ouro ou Banhado em Ouro, as Comendas são em esmalte ou porcelana, nas cores branca e vermelha. Vieram numa linda caixa de charão negro, enfeitada com lotus em ouro e amarrada a tampa, com um "cordão" torcido de seda, na
cor lilá - as Comendas, são duas.
Estou escrevendo certas coisas, porque, solteira, sem herdeiros diretos, morrerei, e num mundo moderno, muitas tradições, desaparecerão.
Este nome, escolhido pelos japoneses, "Tesouro Sagrado", circunda as Comendas como um
Idolo "muito especial", porque "Tesouro" já é algo sagrado!
Meu avô chinês, era pobre - o avô, pai adotivo de minha mãe, Senador e Almirante, é que foi o
Condecorado.
O "Tesouro Sagrado" de meu avô chinês, pobre, natural de Cantão, China, como profissão, Cozinheiro - o seu "Tesouro Sagrado", era um jornal chinês, velho, que ele lia toda
a noite, sem óculos, em voz alta, para não esquecer o idioma; eu assistia a isso, toda a vez que ficava em casa de meus avós, para jantar.
Quando meu avô chinês morreu, eu pedi à minha avó, o jornal chinês velho, como lembrança.
Recebi de minha avó, esta resposta: - Aquela porcaria? Joguei fora!
Então, numa das noites em que eu ficava, após passar a tarde na mansão de Copacabana,
em que residia Esther Ferreira Vianna Calderon, médium de effeitos físicos, inclusive, eu,
Esther e a prima dela Laurita, estávamos na Biblioteca, aguardando o chamado das copeiras
que armavam a mesa para jantar. O marido de Esther, Leopoldo Bombarda Calderon, pas-
seava em largas passadas, a volta da mesa. Esther se casara com cinquenta anos e não tinham filhos.
De repente, Esther gritou para mim, eu, distraida, lendo a "Sabedoria da China e da India" sobre uma mesinha de jogo:
- Clarisse! O Espirito de seu Avô Afonso (ele se naturalisara, mudando seu nome para "Afonso"), está te entregando um jornal dobrado! Olha embaixo da mesa! Umas crianças chinesas estão com uns pedaços de papel rasgados!
Fui para baixo da mesinha de jogo e vi os pedaços do jornal chinês do meu avô Li Po, cantonês. Esses pedaços do jornal chinês, guardo com o maior carinho, numa caixa de sandalo indiana, o meu Tesouro Sagrado, me vindos em transporte de mediunidade física,
ainda sem começar a Seção, que se iria iniciar após o jantar, em casa da médium Esther.
Mas, o Tesouro Sagrado do Japão, guardo com o maior Amor e Consideração pelo Império
do Japão.
Assim, é Nossa Vida
Clarisse

terça-feira, 7 de setembro de 2010

A Longa e Ilusoria Cavalgada

Assunto: A Longa e Ilusoria Cavalgada
Para: nadajatamil@yahoo.com.br
Data: Segunda-feira, 6 de Setembro de 2010, 15:38


Os templos se fecharam para mim.
Órfã e só, onde me concentrar para me achar?
Sou uma pessoa difícil para me compreenderem.
Nem a paixão humana,
me traria qualquer compensação.
É como cavalgar em pêlo,
o cavalo beje que na época em que me mudei
de residencias muitas vezes,
me aparecia no quarto,
como que dizendo: - Monte-me! Você
vai para outro lugar... e era infalivel...
- eu me mudava.
Eu cavalgo em pêlo, isto é,
sem arreios.
O cavalo bege, de crina escura e curta,
cavalga, como se somente ele,
soubesse para onde eu deva ir.
Compreendo, que cavalgo a Solidão;
- e é uma cavalgada louca,
de onde nunca saiu
e não tem para onde chegar
clarisse



O Beijo Organizou o Caos

O Beijo Organizou o Caos



Os deuses Organizavam o Caos.
As Essências eram praticamente Infinitas, pois, se metamorfoseavam de acordo com as Próprias Essencias dos deuses.
Como Organizar uma Coisa que é Infinita?
Então, os Deuses entre os Deuses, perceberam o Beijo.
E foi Selecionado O Beijo.
O Egito, selecionou o Coração como o Principal Órgão Humano, para a Infinitude Ilusória do
Mais Finito, que é o Segredo do Ser Vivo, seja ele Humano ou Animal.
E o Beijo passou a ser o Confronto do que Se Pode Chamar, de Criação.
Os Iniciados na Piramide, tinham que desfazer o Beijo em sua Ansiedade pela Revelação dos
Deuses.
Tudo o Mais, passou pelo Crivo da Revelação, menos o Beijo que é Senhor do Amor que Vela
pela Perpetuação da Humanidade, que, após o Beijo, se clama pelo Eterno, pois o que é a Vida sem a Certeza do Amor?
clarisse

domingo, 5 de setembro de 2010

Solidão

Solidão


Só ha alguém que pode caminhar conosco e nos ajudar - até em ver à nós próprios: nós mesmos.
São apenas dois Pares de Olhos: os nossos que vêm adiante e a visão que retorna para nos
ajudar.
Como se faz essa Dupla Visão?
O Discernimento busca outro componente para agir.
- Discernir, "o que"?
A Verdade, responde à Luz.
A Luz se transforma no confronto com a Iluminação.
clarisse




sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A Ver

A Ver



As vezes penso, que, tentar um homem com a fome, que ha 40 dias ele não se alimenta; tentar
um homem com um país, quando com outros poderes que ele tem, ele pode se colocar alí como Rei - mas, tentar um ser humano com a carícia do Amor verdadeiro, o carinho que esse
ser humano nunca teve de sincero em sua Vida, é a pior das Tentações.
- O Ser Humano, pode responder: - Já descobri outra Essencia de Deus superior ao Amor Apaixonado e outro elemento do Universo, "além" da Sensação da Carícia do Ser que Amamos com Paixão - essa Paixão do Elemento mais Traiçoeiro que existe: o Amor Equilibrado entre os Polos Positivo e Negativo - porque o Amor entre os Polos é Invencivel.
Traiçoeiro também, é o Ego.
O Ego pode sugerir - e estando por de trás da sugestão, lançar a Dúvida.
Mas, o Amor, é a Nossa Entrega.
E nos entregamos com o que ha de melhor em nós, porque o Amor nos pede Isso.
O Amor, Eros ou Cupido, era filho do deus da Guerra, Marte, e, da Volúpia e da Sedução,
Afrodite ou Venus.
Será que existe um Combate Velado dentro do Maior Atributo de Deus?
Mas, o maior Destruidor, é o Ego.
O Ego é a Pior Doença do Espirito.
O Ego é o Destruidor do Universo e a Entrega, também, porque é Egoista.
Oh, Deus, sem Atributos e Qualidades, Perdoe-me!
clarisse

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Wolf, Lobo

Wolf, Lobo


O túmulo do "Lobo" em Assis, na Italia, onde viveu São Francisco de Assis, é uma maravilha de Arte.... "Wolf", o lobo, palavra em Alemão, e em italiano, "Lupo", é um ancestral nosso, que
vivia nos Bosques na Europa.
Os alemães sempre gostaram desse nome "Wolf" e o acrescentaram aos seus cidadãos:
Wolfgang Amadeus Mozart, e também à Wolfgang Goethe, o autor de Fausto, narração da atitude desesperada de um Mago.

A solidão para o Lobo, com a invasão dos homens na periferia de seus bosques, equivale à
Nostalgia do Ser Humano à correspondencia da Humanidade com o que lhe garantia a "Razão de Viver".
A Civilização nas Américas, lugar mais quente, onde os felinos selvagens é que viviam nas
Selvas, apesar de sua beleza, como os olhos magnificos do jaguar e da onça, não levaram
aos humanos a "Depressão da Solidão" - que provocava a angústia no Lobo, quando em noites de Lua Cheia, Wolf procurava os lugares mais altos dos Bosques, para lá, inundar a
Atmosfera da Noite, com seus uivos prolongados...
A Alma de Wolf foi se transformando em Nome para os humanos, dispersando a Solidão
dos Bosques para se tornar Inspiração em Arte Eterna, afim de preservar Sua Angústia na
música e na poesia para a Eternidade do Lobo.
clarisse

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Espaço entre dois mundos

Espaço entre dois mundos



Na verdade, o Espaço entre minha encarnação de agora e a última, que foi numa India de duzentos e poucos anos atrás - minha amiga Lourdes, diz que devo ter tido uma ou duas encarnações nesse intervalo - mas, na verdade, tive mais facilidade em trabalhar com a vida que levei no Sul da India.
O Hinduismo, que mascara um Profundo Esoterismo, com a mitologia de seus deuses, "mexe"
com a parte romantica daqueles que ainda a têm em seu complexo animico.
Uma Voz ouvida do "Além", é uma coisa... os passos que caminham na rota de uma Vida que
aconteceu, se misturam aos passos da Vida de Agora - é o ruido desses passos, que personalizam nosso carater, e é o "fantasma" de resíduos que atrapalham a pureza da manifestação de nosso Espirito, que ainda não isolou a Pureza da Ressonancia de Deus.


domingo, 29 de agosto de 2010

Bolero Transcedental

Bolero Transcedental


Fantasma ao Contrário

Apareço em tua Vida de Morto,
Tu que estįs livre da Morte
Eu, que estou presa ąs
Correntes do Destino,
Choro por ti,
para que nćo demores
me libertar
e nćo termos o que
nos separar
Se formos dois Fantasmas,
nćo teremos a carne
para nos dar prazer
mas o Beijo Espiritual
é mais longo,
mais profundo nos
Labirintos do Coraēćo
onde minha Alma
nćo se cansa de te esperar...
clarisse

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Livro dos Mortos do Antigo Egito (Grégoire Kolpaktchy) e Divagação de Clarisse

Livro dos Mortos do Antigo Egito (Grégoire Kolpaktchy) e Divagação de Clarisse


"Capitulo XCV
(2) ...o Livro Cósmico - os caracteres sagrados (os hieroglifos) - este dom de Thoth (deus da
escritura) - são traçados com a ajuda da "poeira de Osiris"

Se tudo fosse visto e venerado como Divino, o Mundo estaria em nossas mãos com todas as Designações dos Deuses.
Segundo meu ponto de Vista, isto é, de mim, que aqui escrevo, as Designações dos Deuses,
"são Pó do Deus Osiris", tudo Existindo dentro dos Próprios deuses.
Se nos é possivel entrever os deuses através do que em primeiro lugar temos contato, ainda
que, "o que é o "primeiro lugar e o segundo lugar?" - como classificar na Existencia os acontecimentos nas Camadas dos Momentos?
Nossos Destinos, como as células de nossos corpos, as células da Botanica, fazem parte do
Destino dos Deuses.
Oramos Egoisticamente por nós, ao invés de Cooperarmos em Tudo o que Existe com a Designação dos Deuses.
O Deus Osiris, foi Morto e Desmembrado pelo deus Seth, ou melhor, "Pulverizado", cabe melhor na Concepção da Obra dos Deuses, e refeito pela Obra Sagrada do Poder da Deusa
Isis, uma Concepção ou uma Conceição Imaculada em nossos Corações, que fomos criados
também Imaculados, e Somos para nos auto-contemplarmos "Imaculados" - assim, cooperando na Obra dos Deuses, a Luz se revelará em nós.
clarisse

domingo, 22 de agosto de 2010

Algo Perdido

Algo Perdido


Ficou perdido,
esquecido
um elo de algo
que não se partiu.
O Universo contém correntes
de suspiros
que não se dispersam,
porque a Paixão e o Ciume
formam uma amalgama
que o Segredo da Criação
guarda dos mortais.
Os Imortais
usam esses suspiros,
que, colhidos, formam extensos
rosarios
por onde rezam para o Indefinido,
para que a Definição não aprisione
as Almas Sedentas de
Amor e Paixão
porque na Verdade,
o que Vale um Universo sem o Ciume
do que pode Ser Eterno?
clarisse



sábado, 21 de agosto de 2010

A Meditação da Mulher Só‏

Ver



O Jardim úmido,
da chuva fina de ontem à noite
Meu pensamento,
molhado das lágrimas
da Felicidade que secou
como a flor de outono.
A caneta de cabo de bambú
ficou sobre a mesinha de charão,
deixada lá,
porque nada tenho para escrever.
Meu velho vestido de seda,
cobre meus joelhos do frio,
meus pés, em chinelos macios
estão sobre uma almofada
recheada de penas de pato.
Nem Sol,
nem Lua,
com sua alternação,
poderão ser uma melodia pequena,
na flauta de marfim.
Meu coração tem que
saber habitar o silencio,
porque aí,
talvez, somente aí,
a Paz do Céu,
tenha um lugar escolhido
para mim.
clarisse

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Acredite em Você

Acredite em Você



A Semente de Deus, o Coração, que desperta a Devoção, que Resguarda o Amor, que se oculta para a Revelação, que te faz a entrega de Você mesmo, que te responde com o Reflexo
da Verdade, e que Verdade, que Você não sabe responder por Teu existir?
Mas, se Você existe, Você é Tudo: o Antes, o Agora e o Depois - o Que se Ignora e o que é sempre Inquirição.
O Lema Positivista, é um Lema que, se a Humanidade o seguisse, seria um Paraiso: o Amor
por Principio, a Ordem por Base e o Progresso por Fim.
Mas, nesse Lema, temos algo a "ponderar": - Que Progresso?
Se o "Progresso" levar como carga o Amor e a Ordem, Ele, o Progresso, trabalhará constantemente e zelará pelo que De Melhor houver no Ser Humano em prol da Humanidade.

Esse "Progresso" é o Interior do Humano, condizente com o Movimento do Universo.
O Ser Humano, não é pequeno - o Ser Humano é Templo do Universo e os Dois, Humano e Universo, se revertem em Si.
clarisse